ISSN:1606-4925

Estudo das fontes de informação: aplicações em acervos documentários

Jorge Santa Anna

Resumen


O uso das fontes de informação constitui uma atividade constante no cotidiano dos profissionais e pesquisadores. Os mais diferenciados suportes tecnológicos que materializam a informação viabilizam possibilidades de consulta e acessos futuros. Conhecer, identificar e saber localizar esses recursos é de fundamental importância para a construção do conhecimento. A partir dessa reflexão, este estudo apresentou as principais características das fontes de informação e as identificou no âmbito de uma biblioteca universitária e de um arquivo empresarial, demonstrando o uso das diferentes tipologias. Contemplou um estudo de caso, conduzido pela técnica da observação, e realizado paralelamente à pesquisa bibliográfica e documental. O caso desenvolveu-se na condução da disciplina Fontes de Informação, com foco nas discussões em sala de aula e na aplicação de visitas técnicas em duas unidades de informação. Constata-se a existência de diversas tipologias de fontes de informação e o potencial dos acervos documentários no desenvolvimento das ciências, das empresas e da sociedade, embora algumas fontes não sejam muito utilizadas. A partir dos resultados, evidencia-se que as unidades de informação podem se manifestar como os principais locais de armazenamento e gestão das fontes de informação, sendo necessárias ações para divulgar a existência e importância desses acervos.


Palabras clave


Fontes de informação; atividades organizacionais; acervos documentários; biblioteca universitária; arquivo empresarial.

Texto completo:

PDF

Referencias


Araujo, N. C. e Fachin, J. (2015). Evolução das fontes de informação. Biblos, 29 (1).

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Campello, B. S., Caldeira, P. T. e Macedo, V. A. A. (1998). Apresentação. In: Campello, B. S., Caldeira, P. T. e Macedo, V. A. A. (Org.). Formas e expressões do conhecimento: introdução às fontes de informação. Belo Horizonte: UFMG. p. 5-9.

Cruz, M. W. (2011). A pesquisa em sala de aula - interlocução entre teoria e prática: uma crítica na trama necessária. In: Ramos, M. B. J. e Faria, E. T. (Org.). Aprender e ensinar: diferentes olhares e práticas. Porto Alegre: PUC. p. 26-41.

Cunha, M. B. (2001). Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia. Brasília: Briquet.

Dias, M. M. K. e Pires, D. (2005). Fontes de informação: um manual para cursos de graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. São Carlos: EdUFSCAR.

Dudziak, E. A. (2010). Arquivos e documentos empresariais: da organização cotidiana à gestão eficiente. Revista Gestão e Secretariado, 1 (1).

Eluan, A. A., Momm, C. F. e Nascimento, J. A. (2008). A sistemática do uso de fontes de informação para a pesquisa científica. Informação & Sociedade: Estudos, 18 ( 2).

Empey, H. (2010). Transaction Analysis of Interactions at the Reference Desk of a Small Academic Library. Partnership: the Canadian Journal of Library and Information Practice and Research, 5 (2).

Freire, P. (2007). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Gil, A. C. (2006). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Grogan, Denis. Science and technology: na introduction to the literature. London: Clive Bingley, 1970.

Jardim, J. M. e Fonseca, M. O. (2008). Arquivos. In: Campello, B. e Caldeira, P. T. (Org.). Introdução às fontes de informação. Belo Horizonte: Autêntica.

Lemos, A. A. B. (2008). Bibliotecas. In: Campello, B. e Caldeira, P. T. (Org.). Introdução às fontes de informação. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

Medeiros, J. B. (2008). Redação científica: a prática de fichamentos, resumos e resenhas. São Paulo: Atlas.

Medeiros, P. F., Silva, M. A. T. e Alves, I. N. C. N. (2016). Gestão documental em arquivos empresariais: análise do centro de documentação da empresa DM Têxtil. Revista Analisando em Ciência da Informação, 4 (1).

Merlo, F. e Konrad, G. V. R. (2015). Documento, história e memória: importância da preservação do patrimônio documental para o acesso à informação. Informação & Informação, 20 (1).

Milanesi, L. (2013). Biblioteca pública: do século XIX para o XXI. Revista USP, 97 (2).

Minayo, M. C. S. (2004). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec.

Mueller, S. P. M. (2000). A ciência, o sistema de comunicação científica e a literatura científica. In: Campello, B. S., Cendón, B. V. e Kremer, J. M. (Org.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: UFMG.

Pereira, M. J. F. C. (2006). O Arquivo Público enquanto lugar de memória. Em Tempo de Histórias, 10 (1).

Rodrigues, A. V. e Crespo, I. (2006). Fonte de informação eletrônica: o papel do bibliotecário de bibliotecas universitárias. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, 4 (1).

Rodrigues, C. e Blattmann, U. (2014). Gestão da informação e a importância do uso de fontes de informação para geração de conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, 19 (3).

Sayão, L. F. (2009). Afinal, o que é biblioteca digital? Revista USP, 80 (1).

Santa Anna, J. (2015). Trajetória histórica das bibliotecas e o desenvolvimento dos serviços bibliotecários: da guarda informacional ao acesso. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, 13 (1).

Silva, T. E. e Tomaél, M. I. (2004). Fontes de informação na internet: a literatura em evidência. In: Tomaél, M. I. e Valentim, M. L. P. (Org.). Avaliação de fontes de informação. Londrina: EDUEL.

Souza, T. B. (2008). O catalogo on-line como instrumento de acesso à informação em bibliotecas digitais. In: TOMAÉL, Maria Inês (Org.). Fontes de informação na internet. Londrina: EDUEL.

Tomaél, M. I. (Org.). (2008). Fontes de informação na internet. Londrina: EDUEL.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2019 Jorge Santa Anna

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.